Gazeta do RN

Caso Karolina Oliveira: após autópsia em João Pessoa, corpo será levado para o Rio Grande do Norte

A adolescente Karolina Oliveira, de 16 anos, de Goianinha (RN), foi encontrada morta em Capim, na Paraíba.
A adolescente Karolina Oliveira, de 16 anos, de Goianinha (RN), foi encontrada morta em Capim, na Paraíba.

Após ser periciado na sede do Instituto de Medicina Legal (IML), em João Pessoa, na Paraíba, o corpo da adolescente potiguar, Karolina Oliveira, de 16 anos, que estava desaparecida desde às 19h da última segunda-feira, 5 de agosto, deverá ser levado para a cidade de Goaininha, no Rio Grande do Norte, local onde ela morava com a família.

Segundo a família, a última vez que ela foi vista com vida foi saindo de casa dizendo que ia à uma lan house imprimir um trabalho escolar na noite da última segunda (5), entretanto, desapareceu desde então.

Amigos e familiares ligaram inúmeras vezes para o telefone celular dela, mas todas as chamadas eram direcionadas ao serviço de caixa postal da operadora.

Em entrevista à imprensa, o proprietário da lan house afirmou que a garota não chegou até o seu estabelecimento naquela noite.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, a mãe da jovem, aos prantos, pede informações sobre o seu paradeiro de sua filha.

Nesta quarta-feira, 06, o corpo de Karolina foi encontrado às margens de uma rodovia localizada no município de Capim, já na Paraíba, distante cerca de 70 km da cidade de Goianinha, onde ela morava. O corpo, que estava estendido no chão em um canavial, tinha ao menos sete facadas. Ela também teria sido estrangulada, segundo a perícia preliminar.

Após a notícia da localização do corpo, o pai da jovem, Francisco Gomes, foi à cidade de João Pessoa reconhecer o corpo da filha, o que ocorreu nesta quarta-feira, 07.

Em seguida, o corpo será translado para Goianinha. A escola onde ela estudava não abriu as portas desde a notícia da morte da estudante.

As investigações estão sendo realizadas pelas policiais civis do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Até o momento, segundo às autoridades, um ex-namorado da vítima, de 25 anos de idade, foi ouvido pelos investigadores. Uma terceira pessoa com quem a estudante também teria se relacionado e sido ameaçada por ele também foi convocado para prestar esclarecimentos na delegacia.

Paulo Silva

Jornalista (DRT 2022/RN), potiguar de Natal (RN), escreve na Gazeta do RN desde 2016, e no Toda Disciplina e Rede Sinal, desde 2017. Contato: [email protected]

1 comment