Gazeta do RN

Marcondes vai a júri popular em Natal por causa do caso Iasmim Lorena

*Por Paulo Silva, jornalista DRT 2022/RN, da agência de notícias Poti Press.

Marcondes Gomes da Silva, réu confesso do estupro de vulnerável, homicídio e ocultação do cadáver da menina Iasmim Lorena, de 12 anos, caso ocorrido em março do ano passado, na Zona Norte de Natal, vai a júri popular em uma data ainda a ser definida.

O mesmo participou de uma audiência de instrução e julgamento nesta quarta-feira, 24 de abril e a juíza Ingrid Raniele Farias Sandes, da 2ª Vara Criminal de Natal, decidiu que o mesmo seja levado a júri popular.

O caso Iasmim Lorena

No dia 28 de março de 2018, a mãe da estudante Iasmim Lorena pediu para que a filha fosse deixar uma quantia em dinheiro na casa de uma conhecida, que fica em uma rua próxima à residência da família na conjunto da África, no bairro da Redinha, na Zona Norte de Natal.

Com a demora no retorno da menina, a mãe resolveu ir procurá-la. Ao chegar na casa da amiga, para onde a menina devia ter ido deixar o dinheiro, a mulher disse que a garota não havia ido lá, inciou-se, então, as buscas. O caso foi registrado na polícia como desaparecimento. Com o passar dos dias, o sumiço da menina causou grande comoção social na cidade.

No entanto, quase um mês após o desaparecimento, o corpo de Iasmim foi encontrado enterrado em uma casa que estava em construção a poucos metros da residência da família.

O pedreiro responsável pela obra, Marcondes da Silva, hoje preso na Penitenciária Estadual de Parnamirim, na Grande Natal foi automaticamente considerado principal suspeito pelo crime. A polícia prendeu ele dias depois, no litoral Norte do estado. Na delegacia, ele confessou que matou e enterrou a menina por ela ter se negado a aceitar “namorar com ele”.


Paulo Silva

Jornalista (DRT 2022/RN), potiguar de Natal (RN), escreve na Gazeta do RN desde 2016, e no Toda Disciplina e Rede Sinal, desde 2017. Contato: [email protected]

Add comment